Guimaguinhas
Memórias familiares e da minha cidade natal
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
13/06/2013 08h03
Memórias de Aguinhas (4) - Vôlei no Parque das Águas
Aguinhas velha
 
Quem nunca buscou água nas Fontes? Quem não saltou o
muro do Parque das Águas para jogar bolinhas de gude, fazer
tilocas e ficar atento ao rapa dos meninos maiores?
 
(— Olha a colheiiita!!!)
 
Quem nunca — perna-mole! — ficou vigiando o jardineiro
do parque?
 
(— Corre que vem o seu Samuel!) [*]

Até os anos 1960, antes de uma das reformas, havia no Parque das Águas, bem em frente ao Bar Pinguim (onde há, atualmente, uma loja de eletrodomésticos), uma quadra de vôlei, de areia, ao lado de um belíssimo bambuzal, infelizmente retirado numa das tantas modificações por que passou o histórico parque. E havia também, próxima do coreto, onde funcionava a loja da Foto Teixeira, uma quadra de basquete de terra batida, na qual fazíamos tilocas e jogávamos bolinha de gude.

Ainda menino, me lembro de ter assistido ali a uma partida de um torneio de vôlei, enquanto ouvia, pelo alto volume de um rádio posto no balcão do Bar Pinguim, a transmissão do jogo do Brasil 2 X 0 Bulgária, na Copa de 1966, gols de Pelé e Garrincha. Nessa época, os jogos não eram transmitidos ao vivo e nem havia ainda TV em Lambari, mas o interesse dos lambarienses era muito grande, em razão de a Seleção ter feito aqui parte de sua preparação para Copa do Mundo.

Ah, meu antigo e belo Parque das Águas da minha meninice! Que saudades!


Nas fotos abaixo, atletas de vôlei no Parque das Águas dos anos 1950:

Na foto, em pé, entre outros: RellyNenê Nascimento. Ao fundo, o saudoso bambuzal.

Na foto, entre outros: BibiuNenê Nascimento e Vadinho

À esquerda e ao fundo: o bambual que ficava defronte ao Bar Pinguim

Ao fundo, o Parque das Águas e seus bambuzais (Foto Teixeira)


(*) Do poema: Da famosa aventura de ter sido criança em Aguinhas, que abre o livro Menino-Serelepe (Ver acima a seção Livros à venda)

(*) Vocabulário de Aguinhas

Na Aguinhas da minha infância, se dizia mais comumente bambual. Mas há também dicionarizadas as formas bambuzal e bamburral. Essa última pouco utilizada para significar "mata de bambus".


Publicado por Guimaguinhas em 13/06/2013 às 08h03
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras

Formas de interação com o site GUIMAGUINHAS

- Contato com o site - clique o link e envie sua mensagemhttp://www.guimaguinhas.prosaeverso.net/contato.php

- Contato com o autor - envie mensagem para este e-mail: historiasdeaguinhas@gmail.com

- Postar comentários sobre textos do site - utilize esta ferramenta que está ao pé do textoComentar/Ver comentários 

- Enviar textos: utilize acima: