Guimaguinhas
Memórias familiares e da minha cidade natal
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
03/05/2015 21h55
MEMÓRIAS DE AGUINHAS - Congadas de antigamente

SUMÁRIO


Introdução

Neste ano de 2015, serão comemorados os 100 anos das Festas de Congadas de Lambari (MG), conforme anunciado na página da internet da Prefeitura Municipal de Lambari (aqui).

Assim, neste post vamos recordar um pouco das Congadas de antigamente de nossa terra. Vamos lá!

Voltar


Uma música famosa feita por Fernando Dias para nossas Congadas

Inicialmente, é bom relembrar uma música de congada, feita pelo compositor lambariense Fernando Dias (autor de Poema, bolero de sucesso internacional.) (Veja aqui)

Trata-se de uma música que todos conhecemos pelo nome de São Benedito, e que é tocada em nossas festas desde os anos 1960. A origem dessa música, conta João Ribeiro (João Vital), violonista lambariense que foi parceiro de Fernando Dias (aqui), se deu do seguinte modo:

No início dos anos 60, em Lambari, durante um ensaio de Congadas, no bairro Campinho, estavam Fernando Dias e João Ribeiro, com diversos amigos, conversando e cantando no Bar do Azarias. Dali a pouco — diz João Ribeiro — Fernando apanhou uma caixa de fósforos e começou a batucar, pediu a João que tomasse do violão e desse o tom de congada, e soltou o refrão que se tornaria famoso: 

Oilê, Oilá, meu São Benedito mandou me chamar /

Vai o Rei, vai a Rainha, não demora eu vou pra lá...


Essa música, com o título de Princesa Izabel, foi gravada por Luizinho, Limeira e Zezinha, nos anos 1960, e  consta deste LP do trio:

 


 Princesa Izabel foi também gravada por Sérgio Reis, como está neste vídeo no Youtube(aqui)

Voltar


Convite das Congadas de 1977

Programa das Congadas, Lambari, 1977

Voltar


Salvando São Benedito

Uma tradição de nossas Congadas é a visita que fazem à Igrejinha de São Benedito, no bairro Vila Nova, por ocasião da festa anual desse santo, em Lambari. Nesses dias, os termos costumam cantar este refrão:

São Benedito está triste na bandeira /Seus olhos correm água / 

Que cheira a flor de laranjeira 


Congadas na Festa de São Benedito, Vila Nova, em 1939

   

Congadas com a bandeira de São Benedito, na Igrejinha da Vila Nova

  

Levantamento do mastro na Igreja de São Benedito (Lambari, MG)

Voltar


Em Jesuânia

Zé Rosa e terno, em Jesuânia

Voltar


Na Aparecida do Norte

Terno de Zé de Souza, em visita a Aparecida do Norte, anos 1960

Voltar


Fotos

Bandeira de São Benedito

​Congadas - Terno do seu Zé Marques

Terno do seu Zé Marques

A partir da esquerda: Emérson, seu Zé Rosa e seu Zico


Referências

Com informações de João Ribeiro e José de Souza. Fotos: Museu Américo Werneck e José de Souza.

Voltar


 


Publicado por Guimaguinhas em 03/05/2015 às 21h55
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras

Formas de interação com o site GUIMAGUINHAS

- Contato com o site - clique o link e envie sua mensagemhttp://www.guimaguinhas.prosaeverso.net/contato.php

- Contato com o autor - envie mensagem para este e-mail: historiasdeaguinhas@gmail.com

- Postar comentários sobre textos do site - utilize esta ferramenta que está ao pé do textoComentar/Ver comentários 

- Enviar textos: utilize acima: