Guimaguinhas
Memórias familiares e da minha cidade natal
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
17/02/2016 07h55
MEMÓRIAS DE AGUINHAS - Dr. Benício Chaves, estudioso das Águas de Lambari e fundador do seu Hospital

SUMÁRIO


Introdução

Benício Chaves, médico paraense formado pela Faculdade de Medicina da Bahia, por mais de 30 anos clinicou em Lambari, nas primeiras décadas dos anos 1900.

Estudioso da crenoterapia [tratamento com águas minerais], escreveu um livro sobre as propriedades curativas de nossas águas (v. abaixo). Coube a ele também, no início dos anos 1900, lançar a campanha para a captação e separação das fontes das águas de Lambary.

O Hospital e Asilo São Vicente de Paulo foi fundado por sua iniciativa, tendo sido também Benício Chaves quem orientou a construção e presidiu a comissão encarregada da edificação dessa instituição, que há um século serve à comunidade lambariense.

Benício Chaves faleceu no Rio de Janeiro, em 1943. Abaixo, um pouco da história desse grande benemérito de Águas Virtuosas de Lambary.


Dr. Benício Chaves passeia com a amiga Zulmira Silvestrini, no centro da cidade do Rio de Janeiro, anos 1930.

Voltar


Dados biográficos

 Uma pequena biografia de Benício Rodrigues Chaves consta do livro Ruas de Lambari, de José Nicolau Mileo. Confira:


Voltar


Livro sobre as Águas de Lambary

 O livro Águas de Lambary, de Benício Chaves, editado em 1914 e reeditado em 1932, trata-se de um pequeno relato médico da ação, indicações e contraindicações das águas minerais de nossa terra. 

O texto faz referências às primeiras pesquisas médicas acerca das propriedades das águas de Lambary, efetuadas em 1877 pelos médicos Agostinho José de Souza e Ezequiel Correia dos Santos, e bem assim os resultados das observações que ele próprio realizou durante 5 anos.

Por essa época, as fontes hoje existentes jorravam de um só poço, e foi Chaves quem iniciou a campanha para as obras de captação e separação das águas, que, encampada por diversas personalidades políticas da época, sensibilizou o Governo de Francisco Salles. Então, em 1905, o engenheiro  Benjamin Jacob foi designado para a realização das obras (veja aqui).

Após isso, uma amostra da fonte número 1 foi mandada à Europa para análise, realizada pelo célebre químico H. Pellet.

Discorre o dr. Chaves também sobre os poderes acocítico, anagocítico e anagotóxico das águas minerais, e informa que o emprego de nossas águas em injeções intramusculares foi iniciado por Vital Brasil, o famoso cientista filho de Campanha (MG)., secundado pelos médicos José Nicolau Mileo (aqui) e José dos Santos (aqui). Essa técnica foi posteriormente utilizada pelos médicos João Lisboa Júnior (que também escreveu um livro sobre as propriedades das águas de Lambari - aqui), Ismael Gesualdi (aqui) e José Benedito Rodrigues (aqui)

Voltar



Acerca do poder filático de nossas águas, diz Benício Chaves à pág. 26 do livro citado:

a propriedade que tem as águas mineraes de evitar a anaphylaxia, ou de modifical-a, produzindo uma defeza aguda no organismo, tornando nulla a ação das toxinas, é que se deu o nome de poder phylático. [Mantida a grafia da época]

Refere também Benício Chaves algumas experimentações feitas pelo Dr. Vital Brasil, em Lambari, acerca das propriedades da água mineral no combate às toxinas do veneno da cascavel. Sobre isso, Chaves publica uma correspondência do cientista, datada de 19 de fevereiro de 1932, na qual Vital Brasil relata experiências que fizera, por "curiosidade científica", sem ter chegado a conclusões definitivas.

Eis um trecho dessa correspondência:



Conteúdo do livro de Benício Chaves

Voltar


A fundação do Asilo e Hospital São Vicente de Paulo

Voltar


Rua Benício Chaves

O Dr. Benício Chaves deu nome a uma das ruas de Lambari, localizada nas proximidades do antigo campo do Águas Virtuosas F. C.



Veja no Google/Street View (aqui)

Voltar


Referências

  • CAPRI, Roberto. Águas Virtuosas de Lambary. São Paulo : Pokay & Comp., 1918.
  • MILEO, José N. Ruas de Lambari. Guaratinguetá, SP : Gráfica Vila, 1ª. edição, 1970.
  • CHAVES, Benício. Águas de Lambary. Lambary, Pinto & Cia.,1932.

​​​​​​​

  • Agradecemos a Luíza Silvestrini da Cruz, neta de João Gomes d'Almeida e sobrinha de João Gomes de Almeida Filho, primeiros fotógrafos de Águas Virtusas pelas informações prestadas e cessão da foto acima.

Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Publicado por Guimaguinhas em 17/02/2016 às 07h55
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras

Formas de interação com o site GUIMAGUINHAS

- Contato com o site - clique o link e envie sua mensagemhttp://www.guimaguinhas.prosaeverso.net/contato.php

- Contato com o autor - envie mensagem para este e-mail: historiasdeaguinhas@gmail.com

- Postar comentários sobre textos do site - utilize esta ferramenta que está ao pé do textoComentar/Ver comentários 

- Enviar textos: utilize acima: