Guimagüinhas
Memórias familiares e da minha cidade natal
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
14/01/2018 09h01
MEMÓRIAS DE AGUINHAS - A Estação Ferroviária de Águas Virtuosas de Lambary

Ilustração: Réplica de relógio da antiga Estação Ferroviária de Águas Virtuosas, existente na livraria Estação do Livro, em Lambari, MG


SUMÁRIO


Apresentação

Como já contamos na Série O TREM DE AGUINHAS (aqui), a Estrada de Ferro Muzambinho chegou a Jesuânia em 1894. Em 1o. de março, essa estação (chamada então Bias Fortes) foi inaugurada. No dia 24 do mesmo mês a estrada de ferro chegava às Águas Virtuosas. 

  • Sobre essa ferrovia, veja aqui

A primeira estação foi a Parada Melo, a Estação Ferroviária de Águas Virtuosas foi inaugurada alguns anos depois. Houve um plano de Werneck de se construir uma estação ao lado do Cassino, o que acabou não ocorrendo.

Neste post, vamos conhecer a história das estações férreas de nossa cidade.

Confira.

Voltar


O Apeadeiro Mello

Quando a linha férrea chegou a Águas Virtuosas de Lambary, em 1894, o trem fazia uma parada nos fundos do Hotel Mello; Em 1908, essa parada foi ampliada, sendo conhecida como Apeadeiro Mello, que depois passou à história de nossa cidade com o nome de Parada Mello. Nos anos 1940, com a construção do Hotel Imperial, a Parada Mello ligava-se diretamente a um dos salões do hotel. (Veja aqui)

Em 1908, o Hotel Mello fazia propaganda do Apeadeiro Mello.

Confiram:

Reprodução: O Paiz, 27, ago, 1908 (bn.digital.gov.br)


1914: chegada de turistas na Parada Mello. O Hotel Mello pode ser visto ao fundo.

Reprodução: Revista Fon Fon n. 17, de 1914 (bn.digital.gov.br)


Parada Mello nos anos 1940, já ligada ao hall do Hotel Imperial


Memórias de Varginha: Rede Mineira de Viação

Trecho de crônica do professor Antônio Pereira Brandão, publicada em 3 de julho de 2014, no blogdomadeira.com.br

.................................

No entanto, o menino de calças curtas ainda não havia se entrosado com a turma para tentar esquecer um pouco os encantos da cidade natal; os brinquedos e passeios, quando a composição se aproxima de Lambari, para embargue ou desembarque na querida Parada Melo, colada ao Hotel Imperial. Era o ponto mais festejado nesta passagem pelas águas minerais! Com isso, novas recordações dos Pais, irmãos, parentes, companheiros dos piques, das engraçadas cenas de mocinho com fala enrolada dos inesquecíveis faroestes. Lambari significava charretes, cavalos, garrafas e garrafões de água mineral, porque a visita ao parque das águas era o passeio, o badalado, o imperdível passeio.

...............................

Voltar


A Estação Férrea ao lado do Cassino

Nos planos das obras de remodelação da estância de Águas Virtuosas, idealizados por Américo Werneck nos anos 1910, estava a construção de uma nova gare [estação férrea], como noticiou o jornal O Paiz:

Reprodução: Jornal O Paiz, de 6, set, 1909 (bn.digital.gov.br)


Essa estação férrea seria edificada ao lado esquerdo do Cassino, na plataforma ainda hoje existente.


Reprodução: Jornal O Paiz, de 25, abr, 1911 (bn.digital.gov.br)


Werneck planejou construir a estação ferroviária ao lado do Cassino, o que acabou não acontecendo.

Vista aérea da linha do trem contornando o lago, passando pelo pontilhão e seguindo em direção à Parada Mello (anos 1960)

Nessa foto do Farol, pode-se ver ao fundo o pontilhão da estrada de ferro, que contornava o Lago Guanabara, como está na foto abaixo:

Voltar


A Estação Ferroviária de Águas Virtuosas

Nos anos 1920, a Estação Ferroviária de Águas Virtuosas foi construída, seguindo modelo tradicional de suas congêneres, por todo o Brasil:

Reprodução: Estação de Lambari, no primeiro plano o girador das máquinas (Revista Brasileira de Geografia, outubro-dezembro de 1947, p. 536)


 

Reprodução: Turistas na estação de Lambari preparando-se para uma passeio a Cambuquira (Revista Fon Fon n. 16, de 1923 - bn.digital.gov.br)


Emília Bispo Salles, esposa do agente ferroviário sr. Joaquim Salles, pajeando netos, na casa existente nas dependências da antiga estação


Joaquim Salles e netas (Celeste Emília e Maria Dorotéia), nos anos 1960. Ele foi o último agente da estação ferroviária de Lambari


A menina Tugucha (Delmira Maria de Vilhena), na estação ferroviária, que pode ser vista ao fundo

Voltar


A Estação de Nova Baden

A Estação de Nova Baden foi criada em 1901 (aqui), para servir à colônia agrícola de Nova Baden, na qual se instalaram colonos austríacos, alemães, espanhóis e italianos, no final do Século XIX/início Século XX.


Inauguração da Estação de Nova Baden (1901)

Turistas a cavalo e troles visitam a estação de nova baden, início dos anos 1900

Voltar


A construção da Rodoviária de Lambari

Como se sabe, em julho de 1966 os trens pararam de circular em Águas Virtuosas de Lambary, e suas linhas férreas, estações, caixas d'água, viradouros, etc. foram completamente abandonados.

Em 1967, visto o lastimável estado do prédio da estação ferroviária, já havia planos de transformar o local, adaptando-o para uma estação ferroviária, o que acabou ocorrendo em 1988/89.

Em algumas outras localidades de Minas Gerais, preferiu-se recuperar o prédio das estações e transformá-los em espaços de memória e cultura. Confira:

  • Reinauguração da Estação Ferroviária de Varginha - aqui
  • Reinauguração da Estação Ferroviária de Passos - aqui

 

Reprodução: Correio da Manhã, 9, mar, 1967 (bn.digital.gov.br)


Reprodução: Minas em Revista - n. 99, maio de 1988


A Estação Rodoviária de Lambari (Reprodução: lambari-mg.blogspot.com.br)

Voltar


A revitalização da Parada Mello

Neste ano de 2018, por iniciativa da ACIL (Associação Comercial e Industrial de Lambari), em concordância com a administração do Condomínio do Hotel Imperial, deverão ser feitas obras de revitalização do espaço da antiga Parada Mello

Vista da Parada Mello, aos fundos do antigo Hotel Imperial

Voltar


Referências

  • Jornal O Paiz, 27, ago, 1908; 6, set, 1909 e de 25, abr, 1911 (bn.digital.gov.br)
  • Revista Fon Fon n. 16, de 1923 e n. 17, de 1914 (bn.digital.gov.br)
  • Jornal Correio da Manhã, 9, mar, 1967 (bn.digital.gov.br)
  • Revista Brasileira de Geografia, outubro-dezembro de 1947, p. 536
  • Minas em Revista - n. 99, maio de 1988
  • http://lambari-mg.blogspot.com.br
  • Facebook/delmiramariavilhena
  • blogdomadeira.com.br
  • Museu Américo Werneck

Voltar


 


Publicado por Guimaguinhas em 14/01/2018 às 09h01
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

As Águas Virtuosas de Lambari e a devoção a N... R$10,00
Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras

Formas de interação com o site GUIMAGUINHAS

- Contato com o site - clique o link e envie sua mensagemhttp://www.guimaguinhas.prosaeverso.net/contato.php

- Contato com o autor - envie mensagem para este e-mail: historiasdeaguinhas@gmail.com

- Postar comentários sobre textos do site - utilize esta ferramenta que está ao pé do textoComentar/Ver comentários 

- Enviar textos: utilize acima: