Guimaguinhas
Memórias familiares e da minha cidade natal
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
10/03/2013 15h24
Literatura de Aguinhas (3) - Os Prós & Os Contras

Macchado Sobrinho é poeta desde que eu o conheço, e lá já se vão mais de quarenta anos. Bem, isso é só uma brincadeira, pois ele deve ter nascido poeta, visto que a poesia vive a cintilar em seus olhos, a agitar-se em sua língua, a tremular nos seus dedos, a desprender-se de sua pena nervosa, inspirada, fluente.

Ele é poeta todo o tempo. Transpira poesia. poesia. Vive poesia. Escreve poesia a cada dia, a cada hora. Foi ele quem primeiro leu minha prosa incipiente, lá pelos meus vinte anos e corrigiu meus erros e me incentivou a que continuasse. E tem para comigo um gesto de extrema delicadeza e amizade: a cada 14 de novembro me presenteia com um soneto!

O poeta, no entanto, só estreou em livro em 2009, com o seu Os Prós & Os Contras. Dessa obra, diz Marcus Vinícius de Negreiros, prefaciando o livro:

Uma das grandes questões da literatura é saber o escritor como conciliar emoção e forma, como fundir numa obra literária a variada gama de sentimentos, sensações, concepções, princípios, que, juntos, vão formar o sujeito, sem perder a beleza do fazer poético quando transportado para o papel. É justamente aí que reside a força deste livro de Macchado Sobrinho. Ao ler os seus poemas, parece-nos ouvir o grito que sai das entranhas, podemos sentir o seu lamento mudo, sua indignação. Suas vísceras estão expostas. [..............................]

A busca pelo vocábulo perfeito, seja num soneto, seja num hai kai, permeia toda a obra do autor. Dono de um vocabulário vastíssimo, e a despeito de nos enviar algum vez ao dicionário, escreve de maneira simples, com linguagem coloquial.

Esse vocabulário a que se refere o prefaciador é fruto de toda uma vida de leituras e anotações. Vastas leituras de poesias e literaturas tantas. Outras línguas aprendeu Machaddo no silêncio e no anonimato do autodidatismo, mas domina tão bem o francês, por exemplo, que traduziu, a convite de Alcino Leite Neto (este também um lambariense), para a revista Trópico (de 9/jul/2003), quatro poemas do Diário de viagem de Blaise Cendrars - o famoso poeta suíço que escrevia em francês.

Os poemas traduzidos foram estes: Águas de Portugal, A bordo do Formosa, Gorée e Bubus. Abaixo um deles traduzido:

ÁGUAS DE PORTUGAL
Sur les Côtes du Portugal

Do Havre optamos por seguir a rota dos antigos navegantes
Espaçosamente o mar de Portugal é coberto de barcos e pesqueiros
É de um azul contínuo e de pelágica transparência
O tempo é claro e quente
Estala o sol de cheio
Inumeráveis algas verdes microscópicas vêm à tona
Produzem alimentos que lhes facilitam uma imediata proliferação
São inexaurível sustento para a legião de infusórios e as delicadas larvas marinhas
Animais de toda espécie
Vermes estrelas e ouriços-do-mar
Crustáceos miúdos
Mundinho efervescente à superfície das águas de escancarada claridade
Gulosos e esganados
Chegam os arenques as sardinhas as cavalas
Atrás deles tainhas atuns bonitos
A que sucedem os cações marsuínos e delfins
O tempo é claro a pesca propícia
Quando o tempo se nubla os pescadores ficam mal-humorados e fazem chegar seu protesto até a tribuna do parlamento


De Os Prós & Os Contras escolhi o que segue, poema que tempos atrás pus como inspiração na abertura de uma página eletrônica de redação e língua portuguesa. Ei-lo:

 

O Náufrago

Se você quiser escrever, escreva:

na roupa no muro no chão na lousa!

Escreva o que quiser, o que não deva;

escreva uma palavrão, ou qualquer coisa.

De cabeça para baixo, ouse, atreva!

Girafa violino mariposa!

Pobre do artista, aquele que não ousa,

e leva a vida como a vida o leva...

O trevo o turvo o travo a trave a treva.

Vá escrevendo sem metro, rima ou arte,

sem preconceito qualquer sem reserva!

Escreva com o sangue que está na veia;

infeste o mundo, espalhe a toda a parte...

Só não espere, não, que alguém o leia.

 

O seu livro pode ser encontrado neste site: www.livrorapido.com
 


Publicado por Guimaguinhas em 10/03/2013 às 15h24
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

As Águas Virtuosas de Lambari e a devoção a N... R$1,00
Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras

Formas de interação com o site GUIMAGUINHAS

- Contato com o site - clique o link e envie sua mensagemhttp://www.guimaguinhas.prosaeverso.net/contato.php

- Contato com o autor - envie mensagem para este e-mail: historiasdeaguinhas@gmail.com

- Postar comentários sobre textos do site - utilize esta ferramenta que está ao pé do textoComentar/Ver comentários 

- Enviar textos: utilize acima: