Guimaguinhas
Memórias familiares e da minha cidade natal
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


Ilustração: Inscrição no dólmen de Allan Kardec, no Cemitério Père-Lachaise, em Paris: Nascer, morrer, renascer ainda, progredir sempre, tal é a lei.

EVANGELHO E ESPIRITISMO (40) - Vida e morte - A dupla face da existência

SUMÁRIO
 
Apresentação
 
Nascimento, vida e morte nada mais são do que três fases de um mesmo e único processo, o processo da vida.

J. Herculano Pires, O homem novo
 

Só entenderemos a morte, se compreendermos a vida. E falamos da vida que preexiste à passagem pela Terra e que prossegue além dela. Ou seja, da existência do ser espiritual. Sobre isso, a Doutrina Espírita, codificada por Allan Kardec, em meados do Século XIX, na França, é extraordinariamente lógica e consoladora.

Pois bem, neste estudo vamos examinar aspectos da morte na visão espírita, como vai resumido no quadro a seguir.
 

Questões preliminares
 

 

O sentido da vida
 

 

Existência e Existencialismo
 
 
Vida presente, desencarnação e vida futura

Morre-se conforme se vive, diz um adágio. De fato, a Doutrina Espírita ensina que é o modo de viver — e não o modo de crer — que gera as matrizes do futuro espiritual da criatura humana, isto é, o modo como irá desencarnar e viver na dimensão extra-física.

Por outro lado, quanto mais soubermos — pelo estudo, pela reflexão, pela meditação — acerca do modo por que se dá a
desencarnação e como é a vida espiritual que nos aguarda, mais condições teremos de enfrentar serenamente a crise da morte e a realidade espiritual em que a vida prossegue.

 

A cultura, a religião e o medo da morte
 
(...) dentro em pouco se reconhecerá que o Espiritismo ressalta a cada passo do próprio texto das Escrituras Sagradas. Os Espíritos não vêm, portanto, subverter a religião, como pretendem alguns, mas pelo contrário vêm confirmá-la, sancioná-la através de provas irrecusáveis. 

SÃO LUÍS - O Livro dos Espíritos, Q. 1010.a


O Céu e o Inferno, de Allan Kardec
 
A libertação da ALMA e do CORPO se opera gradualmente e com uma lentidão variável, segundo os indivíduos e as circunstâncias da morte. Os laços que unem a alma ao corpo não se rompem senão pouco a pouco, e tanto menos rapidamente quanto a vida foi mais material e mais sensual.

ALLAN KARDC, O Livro dos Espíritos, Q. 155


Leia este livro aqui

Educação para a morte
 
Kardec entendia que para nos libertarmos do temor da morte era necessário encará-la sob o seu verdadeiro aspecto, penetrando pelo pensamento no mundo espiritual, fazendo dele uma ideia tão exata quanto possível. 

José Herculano Pires, Educação para a morte


 

De encarnado para desencarnado
 
É no início da segunda parte de O CÉU E O INFERNO é que Allan Kardec alinha conclusões sobre o PASSAMENTO, baseadas no estudo de inúmeras comunicações espirituais.

A. Caversan – G. Andrade,  O Regresso


 

Exposição de Casos

- Frederico Figner - Irmão Jacob - livro VolteiIrmão Jacob/F.C.Xavier
- Religiosos (padre e freira) - Eugenia Von der Leyen - livro Conversando com as almas do purgatório
- A desencarnação de Dimas - livro Obreiros da vida eterna - A. Luiz/F.C.Xavier - aqui
- Desprendimento difícil (Cavalcante) - livro Obreiros da vida eterna - A. Luiz/F.C.Xavier - aqui

 
 
Vídeos


A MORTE DE DIMAS - Processo de desencarnação
do livro OBREIROS DA VIDA ETERNA, de André Luiz/F.C.Xavier

Disponível no Youtube: https://youtu.be/saWecab-7Tk


O processo de desencarne - Desligamento passo a passo
Explicações por diversos oradores espíritas
Disponível no Youtube: 
https://youtu.be/9ZmKpHFdDSo

Glossário

- Evocação [do latim: e ou ex= de, fora de + vocare= chamar] – Não é sinônimo perfeito de invocação, por mais que tenham a mesma raiz. Enquanto evocar é chamar, fazer vir a si, fazer aparecer por cerimônias mágicas, por encantamentos - evocar almas, espíritos, sombras; invocar é chamar a si ou em seu socorro um poder superior ou sobrenatural – invoca-se Deus pela prece.  A invocação está no pensamento, a evocação é um ato. Na invocação, o ser ao qual nos dirigimos nos ouve; na evocação, ele sai do lugar em que está para vir a nós e manifestar sua presença. A invocação não é dirigida senão aos seres que supomos bastante elevados para nos assistir. Evocam-se tantos os Espíritos inferiores como os superiores.

- Desencarnação [do latim des + incarnatione] – Ato ou efeito de desencarnar, isto é, deixar a carne, passar para o Mundo Espiritual. É quando deixar de atuar o princípio vital, gerando, em conseqüência, a desorganização do corpo, desprendendo-se o perispírito, molécula a molécula, conforme se unira, e restituindo ao Espírito a liberdade. Não é a partida do Espírito que causa a morte do corpo; esta é que determina a partida do Espírito, tanto que desencarnação é libertação da alma, morte é outra coisa, a cessação da vida e degenerescência da matéria. Ver: Morte.

- Morte [do latim morte] – Aniquilamento das forças vitais do corpo pelo esgotamento dos órgãos. Ficando o corpo privado do princípio da vida orgânica, a alma se desprende dele e entra no mundo dos Espíritos Etimologicamente, morte significa "cessação completa da vida do homem, do animal, do vegetal". Genericamente, porém, a morte é transformação. Morrer, do ponto de vista espiritual, nem sempre é desencarnar, isto é, liberar-se da matéria e das suas implicações. A desencarnação é fenômeno de libertação do corpo somático por parte do Espírito que, por sua vez, se desimanta dos condicionamentos e atavismos materiais, facultando a si mesmo liberdade de ação e de consciência. A morte é fenômeno biológico, término natural da etapa física, que dá início a novo estado de transformação molecular. A desencarnação real ocorre depois do processo da morte orgânica, diferindo em tempo e circunstância, de indivíduo para indivíduo, podendo ser rápida, logo após a morte, ou se alongar em estado de perturbação, conforme as disposições psíquicas e emocionais do ser espiritual. Enfim, a morte é apenas a destruição do envoltório corporal, que a alma abandona, como faz a borboleta com a crisálida, conservando porém seu corpo fluídico ou perispírito.

 

Esquema e Apresentação PPT
 
- Veja a ESQUEMATIZAÇÃO DAS FASES DOS PÓS MORTE - aqui
- Veja a
APRESENTAÇÃO PPT deste estudo - aqui

Referências

- O CÉU E O INFERNO – Allan Kardec – Brasília, FEB
- DEPOIS DA MORTE – Léon Denis – Brasília, FEB
- A CRISE DA MORTE – Ernesto Bozzano – Brasília, FEB
- A MORTE E OS SEUS MISTÉRIOS – Ernesto Bozzano – Rio de Janeiro, Editora ECO
- A MORTE E O SEU MISTÉRIO – Camille Flammarion – 3 vols. – Brasília, FEB
- QUEM TEM MEDO DA MORTE? Richard Simonetti – Bauru, SP, Gráfica São João
- MORTE – Uma luz no fim do túnel – Hernani Guimarães Andrade – São Paulo, Editora FE
- ANATOMIA DO DESENCARNE – Cícero Marcos Teixeira – Porto Alegre, RS, Editora Kuarup
- ESTUDANDO O CÉU E O INFERNO - Ariovaldo Caversan e Geziel Andrade – FEB - Reformador Ago/1995 – Disponível aqui: http://www.sistemas.febnet.org.br/acervo/revistas/1995/WebSearch/page.php?pagina=250
- REGRESSO – O retorno à vida espiritual segundo o Espiritismo – Ariovaldo Caversan e Geziel Andrade  - Capivari, SP – ABC do Interior, 1986 – Disponível em: http://bvespirita.com/O%20Regresso%20(Ariovaldo%20Caversan%20e%20Geziel%20Andrade).pdf
SITUAÇÃO DO ESPÍRITO DESENARNADO – Lúcia Loureiro – Disponível em: http://acasadoespiritismo.com.br/coloniasespirituais/situacao%20do%20espirito%20desencarnado.htm 
- VIDA E EXISTÊNCIA – Abel Gleiser –Disponível em: http://www.redeamigoespirita.com.br/profiles/blogs/vida-e-exist-ncia
- OBREIROS DA VIDA ETERNA – André Luiz/F. C. Xavier – Brasília, FEB
- Cap. XIII – Companheiro libertado (Dimas)
- http://bibliadocaminho.com/ocaminho/TXavieriano/Livros/Ove/Ove13.htm  

 - Cap. XVIII – Desprendimento difícil (Cavalcanti)
                 http://bibliadocaminho.com/ocaminho/TXavieriano/Livros/Ove/Ove18.htm
- VOLTEI – Irmão Jacob/F. C. Xavier – FEB, Brasília
- VIDA E MORTE – A DUPLA FACE DA EXISTÊNCIA – Antônio Carlos Guimarães – In Abigail[Mediunidade e redenção] – Belo Horizonte, MG, Edição do Autor, 2009 - Disponível aqui: http://static.recantodasletras.com.br/arquivos/5810669.pdf 
- A MEDIUNIDADE DA PRINCESA CATÓLICA – In A Reinvenção da morte –  Hermínio C. Miranda – Niterói, RJ – Lachâtre, 1997
- CONVERSANDO COM AS ALMAS DO PURGATÓRIO – Eugênia von der Leyen – Trad. Alphons Gilbert - São Paulo, Editora Ave Maria, 1994
- A PASSAGEM – Jean Bazerque – Disponível em: http://www.espirito.org.br/portal/artigos/unidual/a-passagem.html
- A DESENCARNAÇÃO DE DIMAS – O processo de desencarnação - Disponível em: http://espiritismoemmovimento.blogspot.com.br/2013/09/a-morte-de-dimas-o-processo-de.html
- EDUCAÇÃO PARA A MORTE – J. Herculano Pires – S. Bernardo do Campo, SP, Editora ABC do Interior
- MORTE – O que acontece no momento derradeiro? Para onde vamos? Quem irá nos receber? - Orson Peter Carrara - São Paulo, Mythos Editora, 2010
- EDUCANDO PARA A MORTE – Giva de Freitas T. Oliveira – Belo Horizonte, UEM, 2008
- PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A MORTE E O MORRER – E. Kübler-Ross – São Paulo, Martins Fontes, 1979
Guimaguinhas
Enviado por Guimaguinhas em 10/04/2017
Alterado em 11/04/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras

Formas de interação com o site GUIMAGUINHAS

- Contato com o site - clique o link e envie sua mensagemhttp://www.guimaguinhas.prosaeverso.net/contato.php

- Contato com o autor - envie mensagem para este e-mail: historiasdeaguinhas@gmail.com

- Postar comentários sobre textos do site - utilize esta ferramenta que está ao pé do textoComentar/Ver comentários 

- Enviar textos: utilize acima: