Guimaguinhas
Memórias familiares e da minha cidade natal
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
25/04/2013 08h11
Literatura de Aguinhas (8) - O camarinho

Meu amigo Machaddo Sobrinho (1), certa feita, me perguntou se conhecia a palavra camarinho, expressão que os avós de sua mulher usavam para designar um fenômeno atmosférico - aqueles relâmpagos breves, fugidios e constantes, que se veem ao longe, em entardeceres chuvosos ou sob ameaça de chuva.

Com o vezo de catar palavras e expressões de Aguinhas, saí a pesquisar a palavra e suas origens. Durante meses, rodopiei pela internet, pelos dicionários e enciclopédias, modernos e antigos, consultei amigos, professores de português, escritores. Nada. Naquele sentido não encontrei nenhum registro.

Mas a palavra é tão bela, tão expressiva, e designa um fenômeno tão maravilhoso, que valia a pena insistir: se não há registro dela, vamos registrá-la! - pensei. E assim fiz. Adotei a palavra do meu amigo no livro Os Curadores do Senhor, que em breve será lançado.

E contei isso ao Machaddo, pedindo a ele que revisasse o trecho e o contexto em que utilizei a "sua" palavra. E ele o fez ao seu modo - na grandiloquente e culta prosa-poética que o caracteriza.

O seu texto me inspirou, é claro, mas não podia transcrevê-lo em meu livro. Mas também não poderia deixá-lo sem publicidade; por isso, divido-o com os amigos deste espaço:


O CAMARINHO*

Machado Sobrinho


Então é isso. Nem bem fez a tarde a bainha azul-pálido, aquela peça lilás que vai se espichando horizonte afora e as nuvens alhures, cavalheirescamente, vêm chegando. Vêm chegando chegandinho aquelas nuvenzinhas desconfiadas que vão se embolando às grandonas, pardas e encardidas, sobre aquele rarefeito céu, até há pouco, escampo e longíssimo!

Tudo está quieto... desesperadamente quieto! A Ave-Maria noitibó já se esvaiu pelos ares... O relógio da matriz já gaguejou seis horas... E as nuvens continuam a chegar que só mineiro sabe chegar ensimesmado e sonso...

E a gente pega a espreguiçar os olhos, de soslaio, de espreita, ao acaso... além... e elas, as nuvens, estão ali veladas, empirreadas, quietas... O que será!?

Então é isso...

Súbito, o céu ameaçando muito, perpassa, por detrás delas, a rútila escama dos lampejos foliando em cardumes... Um rebuliço de áscuas e fagulhas, como se, ligeiro, a tarde fosse fosforejar ou se arrebentar toda.

De um segundo a outro, é instantâneo... é fogo-de-bilbode; é fogo-de-monturo; é fogo-greguês; é fogo-pulado... tudo mudo, tudo amplo e mudo; tudo ininteligivelmente taciturvo e mudo!!!

- O que será, meu Deus? Meu Deus, o que será!? É hoje que o mundo se acaba! E aí se esgueira a gigantesca silhueta de um raio, ou em meio às nuvens aflora fictícia, a agressiva barbatana de um tubarão-relâmpago... E lá no alto permanece esta peleja incomunicável e inofensiva. Faíscas, centelhas, se esparramam por tudo quanto é canto e a granel.

Prenúncio de um grande vendaval.

Dilúvio à vista... Epidemia de guarda-chuvas!

Cataratas de salto alto... Galochas para Deus!...

Mas, de um segundo a outro, é instantâneo.

Cadê as nuvens? O escarcéu? O sururu?

Um trovão, sequer, distante ronrona... trovões amordaçados...

Nem brusco um raiozinho espatifou sua carcaça de vidro na atmosfera impregnada.

.....................

Ora, que céu desapontado e vasto!...

Alheiamente anoitece como se nada houvera antes...

Nem a mais mísera gota, a mais ínfima gotinha de chuva se estatelou sobre o chão desta terra estéril e seca...

.....................

Ao longe, apenas, já raquítico, o minguante se encrua.



(*) A propósito do capítulo 25 - Um fogo que veio do céu? - do livro Os Curadores do Senhor, novela paranormal de Antônio Lobo Guimarães, ainda inédito.


(1) Veja-se um comentário sobre seu livro de poesias, neste link: http://www.guimaguinhas.prosaeverso.net/blog.php?idb=36380


Publicado por Guimaguinhas em 25/04/2013 às 08h11
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras

Formas de interação com o site GUIMAGUINHAS

- Contato com o site - clique o link e envie sua mensagemhttp://www.guimaguinhas.prosaeverso.net/contato.php

- Contato com o autor - envie mensagem para este e-mail: historiasdeaguinhas@gmail.com

- Postar comentários sobre textos do site - utilize esta ferramenta que está ao pé do textoComentar/Ver comentários 

- Enviar textos: utilize acima: