Guimaguinhas
Memórias familiares e da minha cidade natal
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
19/07/2014 05h26
Aguinhas musical (5) - O Estúdio Musical Faixa Preta

SUMÁRIO


Introdução

Dias atrás, publicamos no GUIMAGUINHAS uma nota sobre o ESTÚDIO FAIXA PRETA, na qual dissemos tratar-se dos fundos do açougue do Acácio Barros, no centro da cidade de Lambari, que era todo forrado de azulejos brancos, com uma faixa de azulejos pretos, razão por que o local improvisado tomou o nome de Estúdio "Faixa Preta".  (aqui).

Como também narramos, naquele local, nos anos 1960, reuniam-se seresteiros, compositores e amantes da música, entre eles: Aloisio Krauss, Acácio Barros, João (Vital) Ribeiro, Cauby Gorgulho, Fernando Dias. E acrescentamos ainda que nesse estúdio foram compostas algumas músicas, como Lambari em Serenata (A. Wildhagen/C. Gorgulho) e o bolero Por quê? (F. Dias).

E, por fim, dissemos ter recebido de Wilma Bacha Wildhagen, viúva de Augusto Wildhagen, uma fita K7, dos anos 1960, com a gravação de uma dessas reuniões. (aqui)

Pois bem, hoje vamos postar essa preciosa fita e acrescentar mais informações sobre o ESTUDIO MUSICAL FAIXA PRETA.

Vamos lá.

Voltar


Localização

Neste local, na R. Dr. Garção Stockler, nos anos 1960, localizava-se o Estúdio Faixa Preta (Fonte: Google Maps)

Voltar


Histórias

Além dos seresteiros e músicos, pelo FAIXA PRETA circulavam também diversas outras pessoas — amigos, curiosos — para ouvir as músicas, conversar ou tomar uma traguinho. Meu pai, o Dé da Farmácia, e meu tio João eram alguns desses frequentadores habituais. Pois bem, naquela época lá trabalhava o Tide, que por muitos anos foi funcionário do açougue do Acácio. Como a turma não tinha horário para encerrar a cantoria, antes de sair o Tide preparava uma pratada de tira-gostos (carne e linguiça assadas), servia o pessoal e ia embora. Ocorreu que, certo dia, o Tide fechou o açougue, e, esquecendo-se da turma, passou o cadeado por fora do estabelecimento. E não houve jeito: os seresteiros só puderam sair às 6 da manhã, quando o Acácio abriu o açougue...

Voltar


Os frequentadores

É longa a lista de frequentadores do FAIXA PRETA, como dissemos acima. Na galeria abaixo estão alguns deles. Pela ordem: Acácio Barros, Aloísio Krauss, João Vital, Fernando Dias e Augusto Wildhagen.

Tio João e Dé, meu pai, que também frequentavam o Faixa Preta

Voltar


A gravação

A gravação de uma das reuniões do grupo no ESTUDIO FAIXA PRETA data do final dos anos 1960, e tem a duração de 14 min e 23 seg. Foi feita em fita K7, copiada num gravador de celular e depois convertida em MP3. Assim, mesmo não possuindo grande qualidade de som, trata-se de um registro precioso da memória musical de nossa cidade.

  • Ouça a gravação, aqui

Abaixo segue um resumo do conteúdo da fita:

ESTÚDIO FAIXA PRETA – Lambari, MG

  • Gravação histórica, anos 1960 – 14 min 23 seg
  • Presentes: Augusto Wildhagen, Aloísio Krauss,  João (Vital) Ribeiro. Registre-se ainda que Fernando Dias estava ausente neste dia, mas foi citado na gravação.

•    00:00 – Trecho de “Lambari em Serenata”, na voz de Aloísio Krauss
•    01:00 - “Dama de Verde”, voz e violão de João (Vital) Ribeiro
•    03:22 – Voz de Aloísio Krauss anunciando pela “Rádio X – Caboclo” a próxima atração
•    03:39 - “Lambari em Serenata”, voz Aloísio Krauss
•    06:32 – Voz de Augusto Wildhagen anunciando a valsa “Vilma”, com João (Vital) Ribeiro
•    06:35 - “Vilma”, voz e violão de João (Vital) Ribeiro
•    10:12 – Voz de Augusto Wildhagen anunciando a nova música de Fernando Dias – “Por quê?”
•    10:16 - “Por quê?”, na voz e violão de João (Vital) Ribeiro


Letras das músicas da gravação

As letras de Lambari em Serenata, Dama de Verde e Vilma estão aqui

A letra do bolero Por quê? é a seguinte:

​Por quê já não estás comigo agora? / Por quê teus olhos eu não posso ver? 

 Oh Deus, minhas penas continuam / E os meus sonhos estão ficando para trás 

Senhor, as tuas marcas me perseguem / Por quê plantaste o amor dentro de mim?

E aí dores renascem com recordações / Numa vida pontilhada de ilusões

Voltar


Agradecimentos

Uma vez mais, agradecemos a Wilma Bacha Wildhagen pelas informações e pela gravação histórica acima referida, e bem assim pela autorização que nos deu para sua divulgação.

Agradecemos também a Aloísio Krauss, Acácio Barros e João (Vital) Ribeiro pela colaboração que deram na feitura deste post.

Voltar


Série Aguinhas Musical

  • Hino de Lambari (aqui)
  • G. Machado e seus rancheiros (aqui)
  • Cris Fernandes (aqui)
  • Lambari em Serenata aqui

(*) Se você, caro(a) visitante, tiver notícias, informações, fotos das pessoas ou famílias aqui mencionadas, ou quiser fazer alguma correção ou complementação ao texto aqui publicado, entre em contato conosco neste e-mail: historiasdeaguinhas@gmail.com


Publicado por Guimaguinhas em 19/07/2014 às 05h26
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras

Formas de interação com o site GUIMAGUINHAS

- Contato com o site - clique o link e envie sua mensagemhttp://www.guimaguinhas.prosaeverso.net/contato.php

- Contato com o autor - envie mensagem para este e-mail: historiasdeaguinhas@gmail.com

- Postar comentários sobre textos do site - utilize esta ferramenta que está ao pé do textoComentar/Ver comentários 

- Enviar textos: utilize acima: