Guimaguinhas
Memórias familiares e da minha cidade natal
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
20/05/2014 11h34
Aguinhas musical (4) - Lambari em Serenata

SUMÁRIO


Foto de abertura: Augusto Wildhagen (de camisa branca) entre Geraldo e Hélio Fernandes, no Vasquinho dos anos 1960.


Apresentação

Augusto Osmar Spíndola Wildhagen (Rio de Janeiro, 23/11/1923; Lambari, 02/03/1991) desde jovem frequentava Lambari. Aqui conheceu Vilma Bacha, com quem se casou — passando a ser conhecido por Augusto da Vilma. Tiveram 3 filhos: Alexandre, Sandra e Soraya.


Cruzmaltino ardoroso, foi durante anos presidente do Vasquinho, de Lambari, time pelo qual eu joguei, no início dos anos 1970. 

 Guima, Sérgio, Adão e Augusto (1971)


      

Vasquinho de 1971: Em pé: Guinho (técnico) e Augusto Wildhagen (Presidente) . Agachado: Chá


Veja também estes posts (aqui) e (aqui).

Voltar


Augusto da Vilma, compositor

Augusto foi também apaixonado por música, tendo frequentado as rodas de serenatas e a vida boêmia de Lambari, ao lado de Aloisio Krauss, Acácio Barros, João Vital, Cauby Gorgulho, Fernando Dias, entre outros. 

  Acácio e Aloísio, companheiros de serestas

Ele não tinha formação musical, mas era poeta e compositor inspirado, e deixou três lindas canções sobre nossa terra, cidade que adotou como sua. São estas as músicas: Lambari em Serenata, Dama de Verde e Vilma. A primeira, uma espécie de hino sobre nossa cidade; a segunda, uma homenagem à Serra das Águas; a terceira, uma canção de amor para sua esposa Vilma.

Aliás, essa conquista amorosa teve lances de grande romantismo, como olhares e galanteios lançados do Parque das Águas em direção à loja de seu Elias Bacha (onde Vilma trabalhava) e uma serenata na qual Augusto dedicou à futura esposa a valsa Vilma.


   

Aloísio Krauss e João Vital  — intérpretes das músicas de Augusto Wildhagen


  

Augusto no aniversário de seu cunhado Celso Bacha. Na foto: João Guimarães, Nambu, Celso, Augusto e Dé da Farmácia (meu pai)

Voltar


Miniatura 

Ouça Lambari em Serenata, com o Grupo ARUS (Associação Recreativa Unidos para Sempre), de Lambari, MG. (aqui)

Voltar


Letras das músicas

Lambari em Serenata

É o cheiro da mata/ é um lago que dorme/ é a cascata a correr.

Lambari em serenata, se você nunca viu/ venha ver para crer.

É a turma juntinha/ cantando e tocando/ as nossas canções.

Por detrás da janela/ nas madrugadas de luar/ palpitam devagarinho/ os jovens corações.

É a lua mais clara/ é o céu mais azul/ e o amor que não tem guerra.

Lambari em serenata/ com amor e com bondade/ pedacinho do Céu na Terra.

Dama de Verde

Dama de verde/ que o sol beija todas as manhãs

Num novo exemplo de amor/ que a natrueza vem nos dar

Dama de verde, esperança, raios dourados/ num novo amor entrelaçado

Dama de verde/ se a noite chega, tudo é luto

Já não te vejo/ já não és mais que um simples vulto

Resta a esperança de um novo amanhã que virá

E um novo exemplo de amor/ tu nos darás.

Vilma

És a rainha das águas brasileiras/ tens um clima sem igual

És Lambari pequena e boa/ cidade sensacional

E além de tudo que a natureza criou/ ainda me deste,

Lambari, um grande amor.

És a cidade dos corações, das serenatas e dos nossos violões

Oh Lambari, a sua água é virtuosa!

Conhecida Brasil afora/ tu és a mais formosa

Voltar


Estúdio "Faixa Preta"

Segundo informa Aloísio Krauss, nos anos 1960, a turma de seresteiros referida acima se reunia, todas as tardes, nos fundos do açougue do Acácio Barros, no centro da cidade. Como o estabelecimento era todo forrado de azulejos brancos, com uma faixa de azulejos pretos, o local improvisado tomou o nome de Estúdio "Faixa Preta". Nesse local, as músicas eram ensaiadas e algumas delas lá foram compostas, como Lambari em Serenata (A. Wildhagen/C. Gorgulho) e Por quê? (F. Dias). 

Voltar


Agradecimentos

  • A Vilma Bacha Wildhagen, que nos deu informações sobre Augusto e os filhos do casal, bem como sobre as composições de seu marido, e emprestou-nos antiga e valiosa fita cassete, do final dos anos 1960, com falas de Augusto e amigos, e gravações das músicas acima, na voz de Aloísio Krauss e João Vital, que postaremos futuramente.
  • A Aloísio Pereira Krauss, o tio Aloísio (tio de minha mulher), que relembrou serestas e encontros com os companheiros acima citados, bem como a história das composições e a letra da música Lambari em Serenata. 
  • A Maria Celina dos Santos, integrante do Grupo Arus, que nos presenteou com o CD Seresta, do maestro Fernando Bonjorni, que contém a faixa Lambari em Serenata.
  • A Carmen Delfini, que nos apresentou à música Lambari em Serenata, no coreto do Parque das Águas.

Voltar


Série Aguinhas Musical

  • Hino de Lambari (aqui)
  • G. Machado e seus rancheiros (aqui)
  • Cris Fernandes (aqui)

Referências: Youtube, Lambari em Fotos & Textos, Coral Arus.


(*) Se você, caro(a) visitante, tiver notícias, informações, fotos das pessoas ou famílias aqui mencionadas, ou quiser fazer alguma correção ou complementação ao texto aqui publicado, entre em contato conosco neste e-mail: historiasdeaguinhas@gmail.com


Publicado por Guimaguinhas em 20/05/2014 às 11h34
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras

Formas de interação com o site GUIMAGUINHAS

- Contato com o site - clique o link e envie sua mensagemhttp://www.guimaguinhas.prosaeverso.net/contato.php

- Contato com o autor - envie mensagem para este e-mail: historiasdeaguinhas@gmail.com

- Postar comentários sobre textos do site - utilize esta ferramenta que está ao pé do textoComentar/Ver comentários 

- Enviar textos: utilize acima: