Guimagüinhas
Memórias familiares e da minha cidade natal
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
28/04/2017 06h05
Memórias de Aguinhas - Propagandas do comércio e indústria - Anos 1950

Ilustração: Propaganda de A Primavera, extraida do livro Águas Virtuosas de Lambari (Roberto Capri, 1918)


SUMÁRIO


Apresentação

O ÁGUAS VIRTUOSAS, de propriedade de ARISTIDES MOREIRA DE SOUZA, antigo tabelião civil, tendo como redator-chefe o então prefeito JOÃO LISBOA JÚNIOR e como redator URAL PRAZERES, foi um semanário que circulou em Lambari, nos anos 1950. 


 


Pois bem, nos 26 números editados de julho e dezembro de 1953, encontram-se diversas propagandas do comércio, serviços e indústrias locais, que nos ajudam a reviver aspectos, pessoas e empreendimentos da nossa cidade daqueles tempos. 

Com isso — pensamos — pode-se contribuir para que as novas gerações conheçam um pouco da história de famílias pioneiras da nossa Águas Virtuosas do Lambari, visto que propagandas são memórias de épocas, culturas e populações.

Vamos lá.

Voltar


Propagandas de Tecidos & Roupas

Neste ramo, tradicionalmente ligado a sírios e libaneses e descendentes, em Lambari vamos encontrar as famílias Bacha e Naback. E também as famílias Viola (A Violinha, de Rômulo e Rubens Viola) e a Lorenzo (Casa América, de José de Lorenzo).

Vejam as propagandas:


Miguel Bacha e família (entre outros: Bebeto, Vavá, Zeca, Nílson, Professor Bacha e Dal)

A Casa Syria ainda persiste, com outro nome, tocada por Marcos, um neto de seu Miguel Bacha

José de Lorenzo (2o. da esquerda para direita) - da Casa América, em foto antiga numa loja de tecidos em Lambari (1928)

À direita da foto, na esquina, local onde funcionou a Casa Dois Irmãos, de Nascime e Roberto Bacha

Aspecto recente da Casa Dois Irmãos, onde funciona atualmente a Mimo Boutique e a Farmácia Novaes

 


Propagandas de Louças & Ferragens

Aqui encontramos duas empresas: A Casa Ferreira, de Jairo Ferreira (da qual já falamos aqui) e a Casa São José, de José Vicente de Oliveira, cujo estabelecimento existe até os dias de hoje, com outro ramo de negócio, mas na mesma família.

A Casa Ferreira era distribuidora de duas antigas marcas de cachaça: Recordação e Meia Lua. Recorde-se que em Lambari, havia a famosa Floresta, produzida por Vito Tucci.

Eis os dois reclames:

Autoridades eclesiásticas em Lambari (1955), passam em frente da Casa São José

Aspecto recente da Casa São José (GoogleMaps, 2011)

Voltar


Propaganda de Secos & Molhados

Nesse ramo, temos:

  • a tradicional A Primavera, de Amedeo Viola, sucedido pelos filhos Nequinho e Rosarinho Mileo.
  • Benedito Rambaldi, da Casa Rambaldi, anos depois encerrou o negócio e foi trabalhar na Casa Ferreira, de Jairo Ferreira.
  • A Casa Glória, de Wadih Bacha, que funcionava em anexo ao Hotel Glória (hoje Novo Hotel Glória); após a aposentadoria do seu Wadih, a Casa Glória funcionou muitos anos com Zezão Bacha e sua esposa Zélia.
  • Pedro José de Souza, da Casa São Pedro, que, a partir de 1949, funcionou em prédio próprio, bastante moderno à época, do qual já falamos aqui.

Eis as propagandas:

Os flhos do seu Egídio Mileo. Da esquerda para a direita: Rosarinho e Nequinho, continuadores de A Primavera

Casa São Pedro, de Pedro José de Souza, no prédio inaugurado em 1949

Aspecto recente da Casa São Pedro (GoogleMaps, 2011)

Voltar


Propaganda de Farmácias

Empregados por seu Antônio Bacha, de quem foram amigos, meu pai  o Dé da Farmácia  e meu tio João Guimarães trabalharam muitos anos na Farmácia Santo Antônio, onde se aposentaram nos anos 1980. Já escrevi sobre esses dois e seu trabalho na Farmácia. Confira:

  • A vingança de Ben Hur - aqui
  • Qual é a melhor religião? aqui

Tio João e Dé, meu pai.

A viúva e filhos do seu Antônio Bacha

Sobre D. Catarina Bacha, veja este post aqui

Sobre D. Beni Borges Bacha, veja este post aqui


A Farmacia São José pertenceu a Mário Santoro, casado com a prof. Maria Rita Pereira Santoro, sobre quem já publicamos uma crônica aqui

Sobre antigas farmácias de Lambari, veja também este post aqui

Seguem os respectivos anúncios:

À esquerda da foto, na esquina, local onde funcionou a antiga Farmácia Santo Antônio

Farmácia São José, de Mário Santoro. Depois, vendida a Aluísio Junho. 

Na foto: Aluísio, Raul e Fabiano Krauss, ladeando Aluísio Junho (de terno). Abaixo, de chapéu, o fotógrafo Vicente Teixeira Dias (anos 1950)

Voltar


Propaganda de Comércio & Serviços

Não há ninguém da minha geração, bem como da anterior e da seguinte, que não tenha comprado material escolar ou um postal no seu Juca Leite, a tradicional Foto Papelaria São Luiz, fundada pelo seu José de Oliveira Leite — o seu Juca. Que ainda hoje funciona, com Joana Rambaldi Leite, viúva de José Gama Leite.

O Bar do Juca é patrimônio histórico de nossa cidade, sobre o qual já fizemos um longo post, que pode ser visto aqui.

E o Palace Hotel, de d. Mariazinha e seu Benedito, resistiu até a pouco tempo, quando transformou-se em um Supermercado da Rede GF.

Parte do Palace Hotel foi demolida e outra reconstruída, para dar lugar ao Supermercado GF (GoogleMaps, 2011)

Voltar


Propaganda de Médicos & Dentistas

O grande médico lambariense, Dr. Ismael Gesualdi, anuncia seu consultório, que então funcionava no prédio da Empresa de Águas. Note-se a especialização em dosagem de águas, atividade de antigos crenólogos, hoje pouco praticada (Crenologia = estudo das águas termais ou das águas minerais.). Sobre o Dr. Ismael, veja também esta crônica aqui

Ismael Gesualdi

A seguir, os irmãos Nélson e Sebastião Miranda, divulgam sua clínica dentária. Roach é uma prótese dentária removível. 

Dr. Nelson Miranda, esposa e filhos

Vejam os anúncios: 

Voltar


Propaganda de Oficinas

Duas famílias — Castilho e Guimarães de Souza — pioneiras na atividade de serralheria e hidráulica, cujos descendentes — muitos deles — trabalharam e/ou trabalham ainda nessa atividade e moram em nossa cidade.

E assim faziam propaganda de seus negócios:

Voltar


Referências

  • Semanario O ÁGUAS VIRTUOSAS, ns. 1 a 25, de 1953 - Disponível em: http://memoria.bn.br
  • Águas Virtuosas de Lambari. Roberto Capri. Pocai & Comp. São Paulo, 1918
  • GoogleMaps
  • Facebook/kitmiranda

Voltar


 

 

 


Publicado por Guimaguinhas em 28/04/2017 às 06h05
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

As Águas Virtuosas de Lambari e a devoção a N... R$1,00
Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras

Formas de interação com o site GUIMAGUINHAS

- Contato com o site - clique o link e envie sua mensagemhttp://www.guimaguinhas.prosaeverso.net/contato.php

- Contato com o autor - envie mensagem para este e-mail: historiasdeaguinhas@gmail.com

- Postar comentários sobre textos do site - utilize esta ferramenta que está ao pé do textoComentar/Ver comentários 

- Enviar textos: utilize acima: